terça-feira, 7 de agosto de 2012

Portas fechadas e janelas pequenas


Dessa vez as portas da imigração foram fechadas, mesmo que temporariamente. Dizem que o backlog/fila já está grande demais para continuar crescendo, por isso o caráter temporário da medida. Era uma tendência previsível e desesperadora para quem sonha em vir morar aqui. Diante disso, o que resta a fazer é estudar as alternativas e ver se alguma delas é viável.

Ao contrário do processo federal, o congelamento do processo do Québec não foi total. Mas ao que parece, o que escapou não é viável para a maioria. A interpretação da medida causou confusão. Para mais detalhes, veja esse documento.

Antes de discutir as possíveis alternativas, gostaria de fazer a minha interpretação do que tenho ouvido e lido do governo em relação a política de imigração por esse tempo que estive aqui.

Para eles, o processo atual é muito ineficiente comparado ao de outros países que também têm necessidade de imigrantes. Estudos mostram que fatores como o domínio do(s) idioma(s), idade e a experiência afetam a propensão do imigrante a ser bem ou mal sucedido. Então, ao invés de continuar com um fluxo grande de candidatos a serem processados, custando caro e congestionando a fila, deveriam ser mais seletivos e trabalhar com menos candidatos e que são melhores.

Outro problema é que existe uma etapa intermediária que causa distorções entre o que o mercado precisa e o que o governo está provendo como mão de obra imigrante. O sistema atual cria uma lista de profissões que são de alta demanda, mas não leva em consideração alguns aspectos. Por exemplo, se a profissão é regulamentada e exige demais para que o profissional esteja em condição legal para exercê-la.

Uma solução é ter a ligação direta entre a empresa e o candidato. Esse processo já existe há alguns anos e o governo disse querer que seja intensificado. Um exemplo disso são as missões de Québec. O prefeito incentivou empresas de TI a virem se estabelecer aqui em Québec. Para suprir a demanda de mão de obra, criaram uma instituição chamada Québec International. Eles faziam missões em países francófonos e agora estão fazendo também no Brasil depois do sucesso da primeira. Muitos dos que foram contratados nessa primeira missão já estão aqui trabalhando com visto temporário e deverão pleitear o visto de residente permanente na categoria de Experiência Canadense. Parece que Alberta está começando a investir nessa modalidade também. Infelizmente, essa modalidade é tão restrita que nem mesmo certas carreiras da área de TI são autorizadas pelo governo a terem um visto de trabalho temporário. É algo bem específico mesmo.

Algumas pessoas da lista Canada Immigration Brazil têm relatado suas experiências na modalidade self-employed. É restrita, demorada e parece que depende da capacidade do candidato de demonstrar que tem uma contribuição útil e relevante ao país.

Existe o processo de Manitoba, descrito nessa postagem mas até o momento, não tive notícia de ninguém que tenha tentado essa alternativa.

Outra possibilidade é a de fazer algum estudo pós-secundário em algum curso que permita que o cônjuge receba um visto de trabalho temporário aberto a qualquer emprego. Depois do prazo mínimo, esses entrariam também pela categoria de Experiência Canadense. Conheço casais que fizeram isso para antecipar a vinda enquando terminavam o processo do visto de residente permanente pela modalidade skilled worker. O problema dessa via é que o estudo não tem nem o custo subsidiado do Québec, nem mesmo o de canadense. Para estudante estrangeiro, o custo é mais alto. Mas se o cônjuge conseguir um bom trabalho, pode ser que o orçamento se equalize.

E também, existe sempre a possibilidade de conseguir um emprego direto com alguma empresa que "patrocinaria" o visto de trabalho temporário. Isso é o que muitos procuram, mas é complicado. A empresa tem que tem uma necessidade extrema para recrutar, ir atrás de saber como obter o visto, pagar, esperar ao menos 4 meses e pegar alguém que normalmente não domina o idioma e nem se pode ao certo confirmar se os dados do CV são verdadeiros. É bem mais fácil contratar algum nativo, desde que não esteja em alta escassez.

Possivelmente existam outras formas de se imigrar para cá. Eu não estudo esse assunto e o que listo aqui é apenas o que vejo por alto, portanto, nem mesmo confiem no que digo . O ideal mesmo é ir direto à fonte como, por exemplo, o site do Citoyenneté et immigration Canada/Citzenship and Immigration Canada. No mais, se estiver realmente difícil vir para cá, já pensaste em ir para a Austrália? Eu cheguei a analisar essa possibilidade mas desisti porque lá não tem o inverno daqui e só falam um idioma! Metade brincadeira, mas metade verdade mesmo!

11 comentários:

  1. Desolée totallllllllllllllllll:(

    ResponderExcluir
  2. Nossa eu nunca imaginei que o processo mudaria ou paralisaria assim tão rápido, foi realmente uma surpresa, achei que teriam mudanças e tal, mas não como essas o.O
    =(

    ResponderExcluir
  3. Isso não é novidade pra mim, sabia que um dia a imigração para o Canadá iria diminuir muito. Eu, que sou Estatística assim como meu esposo, supostamente profissão prioritária, já espero à quase uma gestação pela entrevista e até agora nada rsrssr. Já pensei muito na possibilidade da Austrália ou Nova Zelândia....

    ResponderExcluir
  4. Acredito que não seja exatamente isso não...
    http://www.immigration-quebec.gouv.qc.ca/fr/informations/reception-demandes.html

    ResponderExcluir
  5. O link que eu coloquei tem o mesmo conteúdo do teu. Pelo que entendi, está suspenso fora alguns casos particulares, mas esses casos excluem a grande maioria dos candidatos. Qual a tua interpretação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então... eu entendi que para aqueles que estão no quadro de 6 pontos que consta no anexo, ainda poderão enviar seus dossiês... (TI, Adm, etc...) Estamos com a consultoria da Maria João e ela está orientando sem nenhum alerta quanto a uma pausa neste momento
      Priscilla

      Excluir
  6. Ahh, sim, entendi o que queres dizer! Sim, se a pessoa tiver sorte de estar na lista, ainda está valendo. Mas como disse, não é viável para a maioria.

    ResponderExcluir
  7. Alexei, gosto muito de ler seu blog. As informações que você posta sobre os processos dos que pretendem ir morar aí ou sobre como é a vida aí, são de valiosa importancia pra mim e pra muitas outras pessoas.

    Obrigada!!

    Abraço,

    Anna Paula (Fort. Ce)

    ResponderExcluir
  8. Olá Alexei,

    Tenho interesse em fazer curso pós-secundário em Montreal. Será que você poderia me passar o contato desses amigos que utilizaram este meio para antecipar a ida para o Canadá?
    Grata.
    Angélica

    ResponderExcluir
  9. Obrigado, Anna Braga.
    Sim, Fernanda. Para muita gente, ferrou e ferroou.
    Angélica, essa é a postagem do blog deles que fala do que fizeram. Tente o contato pelo blog. Se não responderem, me avise que eu vou tentar entrar em contato com eles através de amigos que moram lá.
    http://eueminhacasa.wordpress.com/2008/12/

    ResponderExcluir