segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Cada vez menos mancadas


Para a infelicidade de vocês, mas felicidade minha, eu estou ficando mais safo e dando menos mancadas. Uma boa parte se deve a uma das primeiras mancadas que eu esqueci de contar. Achei um prato pronto indiano bonito e preparei-o no micro-amigo. Quando botei a comida na boca, cospi fogo igual a dragão. Eu sabia que a comida baiana e a mexicana eram apimentadas, mas não sabia que a indiana era também. Aí me disseram que na caixa, com certeza tinha um aviso. Realmente não li porque sei como é pimenta e apimentado nos dois idiomas (inglês e francês) que tem em todas as embalagens.
Daí eu aprendi: Leia, seu tapado! Isso evitou a mancada do dockside que peguei morto de animado porque era muito barato, mas eram pantufas (vide foto), dentre outras mais que evitei. Mas também causou outra. Ontem eu estava comprando algumas coisas tarde da noite no supermercado, estava com medo dele fechar e eu ter que jantar só maçãs. quando cheguei no primeiro caixa, tinha um aviso de que estava fechado. Quando cheguei no outro, a atendente se virou para mim e apontou para um aviso. Comecei a ler o aviso, que não era pequeno. E as duas começaram a rir. Lá vai eu tentar entender o que estava se passando. Então ela me disse que não estava ainda falando comigo. Estava apontando para algo longe conversando com a amiga e por coincidência, foi na hora que eu cheguei e a mão parou justamente no aviso. Aí também teve o azar, né?
Os sentidos são muito importantes aqui. Saí da imobiliária e peguei o ônibus para o trabalho. As janelas estavam brancas de neve e não dava para ver quase nada. Então, fiquei absorto em minhas divagações efêmeras (válvula de escape de quem passa o dia falando só o arroz com feijão em outros idiomas). Derrepente, eis que eu leio: Université Laval. 'stie!!! (palavrão daqui) Eu estou no outro lado da cidade! Quando dobrei a avenida procurando a imobiliária, vi pela numeração que ficava do outro lado dela, mas não atualizei meu cérebro na saída.
E começo a criar hábitos daqui naturalmente. Por exemplo, o de bater as botas (no sentido próprio) para derrubar a neve antes de entrar em algum lugar. Como tinha muita neve, antes de entrar no shopping, plantei um baita chutão na coluna de concreto. POU!!! A danada da coluna era revestida de madeira oca, na cor da outra que era de concreto de verdade, e fez um barulhão. Entrei com cara de curioso querendo saber também quem foi o idiota que fez esse barulhão, porque tinha algumas pessoas do lado de dentro da porta.
Tem mancadas que puxam outras. Fui avisado e vi alguém cair na brincadeira tradicional logo no primeiro dia de trabalho. Se esquecermos o computador destravado, alguém manda email para todo mundo prometendo uma caixa de donuts. Pois bem, na semana passada, baixei a guarda e esqueci. Quando cheguei, todo mundo sorrindo para mim e comentando entre si, e eu nem sonhava. Quando vi o email, caiu a ficha.
No outro dia, para respeitar a tradição, lá estava eu com uma caixa com 12 donuts de massa beeeem macia e gostosa, feito com o primor das matérias primas, e uma cobertura do delicioso sucre du sirop d`erable/açucar do xarope de bordo (árvore muito comum aqui cuja folha aparece na bandeira do Canadá). Hummm...!!! É muito gostoso (como muitas comidas daqui) e comprei todos desse sabor. Só que, para quem mora aqui, é tão novidade quanto rapadura no Ceará. Quando abriram a caixa, reclamação geral! Poxa! Você comprou todas de erable! É, mas mesmo assim comeram tudo e nem pude trazer alguma para casa.
Enfim, a rapadura é doce mais não é mole não.

5 comentários:

  1. De jeito nenhum. Pode tratar de arrumar outras mancadas pra nossa diversão. Hehehe.
    Agora falando sério é muito bom ver que aos poucos você está se encaixando e se adaptando à nova vida.

    E a vida segue...

    ResponderExcluir
  2. Velho tu bate todos os recordes!
    Não me lembro de muitas mancadas minhas não.
    Mas, a última foi bater palma sozinho na hora do Happy Birthday!

    ResponderExcluir
  3. quero donut de erable tb! hum... :D

    ResponderExcluir
  4. César: Quero que você escreva as suas também quando for a sua vez, tá :)
    KK: Acho que a nossa diferência está na memória e/ou de não ter vergonha de escrevê-las :)
    Cecília: E tem muitas outras coisas gostosas por aqui. É só não cair na pegadinha das comidas apimentadas demais.

    ResponderExcluir
  5. Nossa essa do chute da coluna foi impagável rsrs... E obrigado por avisar sobre a brincadeira do donuts.

    Quando chegar minha vez tentarei não cair nessa.


    Abs

    P.S Conheci seu blog agora no grupo iformatica quebec, e tbm sou de TI, aguardo infos sobre nossa area ai no Canadá.

    ResponderExcluir