segunda-feira, 17 de maio de 2010

Não encontro isso no Canadá: Ligue o desconfiômetro!


Muito antes de pensarmos em vir para o Canadá, já existia uma gozação que até hoje é lembrada entre os imigrantes. Em uma lista de discussão, alguém perguntou se tinha para vender aqui ou se precisava levar do Brasil uma panela de pressão. Depois disso, com medo de não encontrar aqui, já vi gente querendo trazer de tudo, desde rodo e farinha láctea até móveis e granito, importando por navio. Estou falando sério!
Gente! Apesar de estarmos bem perto, vocês não estão vindo para o meio do polo norte! Em parte, isso é fruto de alguns que alardeam que não encontraram blá, blé e bli. De fato, algumas coisas são difíceis de encontrar, ou até nem mesmo são vendidas aqui. Mas normalmente tem uma razão. É importante termos em mente que muita coisa aqui é bem diferente, desde o clima e comidas até os costumes. Então, agucem (Nota do tradutor: Isso é português, do verbo aguçar, mas o cearense está pensando em francês, onde o verbo é bem mais utilizado) a percepção para saber se não estão tentando fazer igual a história dos índios usando rádio. É uma história didática que diz que os índios não aprovaram a comunicação via rádio porque ele faz menos fumaça que a madeira para transmitir sinais de momaça (Nota do tradutor que não está traduzindo nada hoje! É fumaça no idioma do Davi). Ou seja, não necessariamente algo novo vai funcionar da mesma forma que se fazia com o velho.
Seguem alguns exemplos para ajustarem o desconfiômetro.
-Esse é o exemplo mais legal que lembro para ilustrar o que quero passar. É difícil de encontrar filtros aqui. Quando encontramos, muitas vezes são de adaptar na saída da torneira e são uns trambolhos. Claro! Aqui a água da torneira é de boa qualidade e é de lá de onde bebemos diretamente! Nunca viram em filmes a pessoa acordar no meio da noite e beberem água na torneira do banheiro? Comprei uma garrafa que tem um filtro embutido só para ter um conforto mental, mas também tomo direto da torneira. É bom usar uma garrafa aberta para deixar o cloro evaporar e melhorar o gosto.
-Lembrei de escrever isso porque meu desconfiômetro disparou quando estava a caminho da Canadian Tire para comprar pregos para prender um quadro na parede. Daí, lembrei que a parede é de drywall/"gesso" e não alvenaria como usualmente é no Brasil. Por isso, poderia ser que o prego ficasse frouxo facilmente. Pensei em um parafuso, mas chegando lá vi que uma outra solução é mais apropriada. Vejam na foto. Os pregos são obrigados a ficar em diagonal para baixo e o quadro tem uma espécie de cabo de aço atrás para pendurar nos ganchos.
-Na lista, vi as pessoas batendo cabeça para encontrar rodo. Não se joga água em piso de madeira, portanto, não precisamos de rodo. Para limpar o chão, existem esfregões que são mais práticos que um rodo com um pano de chão enrolado.
-Ferro de passar, tem, mas pouca gente usa e só para alguns tecidos que são evitados. Se dá para evitar o trabalho de passar roupas, porque não?
-A panela de pressão é função do que se vai cozinhar. Dizem que é essencial para o feijão, mas tem feijão aqui que é pré-cozido ou algo assim que dispensa o seu uso. Também, nem lembrava mais que existia feijão! Mas mesmo assim, se for essencial à sua sobrevivência, tem para vender sim!
-Agora um exemplo cultural. Aqui se usa demais a boite vocal/secretária eletrônica. Se ligarem para alguém ou alguma instituição e não atenderem por mais de uma vez, não estranhem. Simplesmente deixem um recado dizendo nome, telefone e opcionalmente o assunto que normalmente eles ligam de volta. Também é recomendável não atender o telefone no meio de uma reunião ou conversa mais importante, já contando que alguém vai deixar recado com a nossa amiguinha. A não ser que vejas que é importante, claro. É a cultura do uso eficiente do tempo.
O importante é ter em mente que aqui é outro ambiente e vir de mente e coração abertos para que a adaptação seja mais suave e rápida. Pensando de uma forma mais abrangente que os exemplos que usei aqui, evitem criticar alguns costumes daqui sem antes tentar saber o porquê deles. Por exemplo, os apartamentos feitos quase que totalmente de madeira, ironicamente são ecológicos! É porque a madeira tem um isolamento térmico melhor, reduzindo o gasto de energia, evita a poluição das indústrias de fabricação dos outros materias, é reciclável e pode ser extraída de maneira sustentável.

11 comentários:

  1. muito bom! e necessario mudar a forma de pensar para melhor adaptacao. beijos e boa sorte pra vcs!
    paola

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, apenas uma correção, as paredes não são de madeira, são drywalls (gesso) apenas o "esqueleto" da casa é de madeira.

    ResponderExcluir
  3. Já vi que algumas derrapadas serão inevitáveis. Hehehe.

    E a vida segue...

    ResponderExcluir
  4. Muito bom. Já vi gente dizendo besteiras iguais ou piores a essas que você citou.

    Minha esposa fez no blog dela uma seção chamada "Aqui também tem" com alguns equivalentes interessantes: http://blog.flasustenido.com/?cat=21

    E sim, panela de pressão tem. Lá em casa compramos a nossa logo no nosso primeiro ano, mas é usada raríssimas vezes. E unicamente pra fazer feijoada.

    []'s

    ResponderExcluir
  5. Oi Alexei,

    legal esse post:)

    Au revoir :)

    ResponderExcluir
  6. Olá Alexei,

    Já falei com você algumas vezes na lista canada immigration e sempre acompanho teu blog que acho muito bom e cheio de informações. Tô escrevendo porque acho que somos vizinhos agora. Acabo de alugar meu apt na Beveldere. E, como você, achei um ponto mágico, super bem localizado. Me lembro quando ainda no Brasil li o teu post sobre esse local e nem imaginava que hoje eu estaria com as chaves de meu apt justamente lá.

    ResponderExcluir
  7. Olá Alexei...

    Leio seu blog todas as semanas e sempre estou aprendendo um pouco mais, estou iniciando o meu processo e gostaria de conversar um pouquinho contigo. Também possuo um blog mas, é de tecnologia.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  8. Que loucura hein!!!
    Estou na fase das malas, chegaremos dia 28/05 e ainda há duvidas de alguns itens....valeu pelas orientações...abraços
    Milene

    ResponderExcluir
  9. Nada mais para acrescentar. Mais um post perfeito!
    Depois manda para o Sulivan, aquele pela saco da lista de discussão

    ResponderExcluir
  10. Bruno: Obrigado pela correção. Já mudei o texto.
    Paola, Anna: Valeu pelos comentários.
    Eri: De fato, tem também a questão de saber onde encontrar o equivalente.
    Manuela: Bienvenue, voisine! Vou mandar um email para você.
    Sandro: Mandei um email para você com os meus contatos.
    Milene: Vens para o Canadá, o Québec ou para Québec? Essa fase é bem emocionante! Boa imigração.
    KK: Obrigado pelo comentário. Quanto à figurinha...Maxo! O cara vive se lamentando, mas de forma agressiva! Vou simplesmente ignorá-lo.

    ResponderExcluir
  11. Que post elucidativo, é bom mesmo a gente ter versões diferentes, pois vemos as coisas pelos seus diversos ângulos.Tudo tem seu lado bom e a sua solução!

    ResponderExcluir