sábado, 16 de janeiro de 2010

Pulando a linha do Equador sem dormir

Desculpem a velocidade das postagens, mas é muita coisa para contar em pouco tempo que estou tendo aqui. Vocês sabem, né: passear, conversar sobre os maçetes, fazer compras no shopping, tirar fotos...he, he, he. Essa moleza vai já acabar!

O voo da Air Canada saiu às 22:30h (horário local) e estava cheio. Percebi logo que já estava em território internacional. Muitas conversas em várias línguas. Ao meu lado, sentou um cara da Arábia Saudita que estava estudando em uma universidade de Vancouver. Aliás, quase todos os brasileiros que tive contato estavam indo para Vancouver. Conversamos um bocado em inglês. Foi bom porque serviu de aquecimento para Toronto.
A viagem é realmente muito longa. Principalmente para quem não consegue dormir. 10 horas de sono, é como se fosse uma viagem curta, mas para ficar acordado, é outra coisa. Fiquei no assento do meio e não consegui nenhuma posição que fosse confortável o suficiente. Talvez no assento vizinho à janela pudesse escorar a cabeça, mas não pude escolher o assento. Quando cheguei aqui, vieram me dizer que a "boia" que eu havia visto era um apoio para a cabeça que colocamos no pescoço, justamente para este caso.
O avião é bem grande. As filas tinham 3+3+3 assentos. Cada assento tem uma tela sensível ao toque com menus. Tem filmes (inglês, francês e achei um em espanhol), programas, músicas, indicações de viagem, etc. Tem também um conector que me pareceu ser USB. O meu vizinho disse que podemos colocar nossos próprios vídeos e músicas. Não garanto a informação! As aeromoças e os aeromoços são muito educados e simpáticos. Achei interessante que ao menos uma aeromoça falava português e alguns anúncios também eram feitos em português.
Serviram um jantar de avião. Comi um frango com não lembro o que, com uma salada de mamão com melão e tinha um pãozinho. No café da manhã, perguntavam se queriam $%*&#@# ou @*#$*#. Depois entendi que a segunda opção era scrambled eggs (ovos mexidos) e que a primeira era uma nome que não conhecia e que não lembro agora. Parecia com cheese. Pedi este segundo e quando comi, perbi que era um tipo de omelete aerado com queijo. De tempos em tempos eles passam perguntando se queremos beber algo. Certa vez, perguntei que horas eram e percebi que não basta. Tem que dizer de onde porque Fortaleza está com fuso-horário GMT-3, São Paulo com GMT-2 por causa do horário de verão e Toronto com GMT-5. No meio da madrugada, apertei o botão de chamar a aeromulher (a maioria tinha cabelos grizalhos, logo...). Quando ela veio, já estava com a garrafa e o copo adivinhando que era isso que eu queria.
Chegamos em Toronto às 05:30h (horário local) com -3º e como estava escuro, não deu para ver direito como é.

4 comentários:

  1. Boa sorte, se nao encontrar rapadura ai em quebec, me fale que aqui em Toronto tem. huahuahua!

    ResponderExcluir
  2. Mas estás supondo que tem rapadura ou achaste mesmo? Aqui eu achei Noix du Brésil (castanha do Pará) e a castanha de caju que a minha esposa tanto insistiu para eu trazer e eu não trouxe. Mas acho que rapadura, só se for de maple syrup/sirop d'érable.

    ResponderExcluir
  3. Sim, já comprei rapadura aqui. Aliás, aqui em Toronto tem qualquer coisa que você imaginar, do mundo todo.

    ResponderExcluir
  4. Será que eu encontro aqui em Québec?

    ResponderExcluir